TEMÁTICA

Este espaço destacará o túmulo de personalidades famosas do meio artístico e histórico- cultural, sem qualquer conotação político-partidária ou religiosa doutrinária.


ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades famosas. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural brasileiro. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.

“MEMENTO, HOMO, QUÍA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó has de voltar.”

terça-feira, 24 de novembro de 2015

NORA NEY - Arte Tumular - 356 - Cemitério da Saudade, Sulacap, Rio de Janeiro



Local: Cemitério da Saudade, Sulacap, Rio de Janeiro




PERSONAGEM
Nora Ney, nome artístico de Iracema de Sousa Ferreira, (Rio de Janeiro, 20 de março de 1922 — Rio de Janeiro, 28 de outubro de 2003) foi uma cantora brasileira.
Morreu aos 82 anos de idade.

SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
Aprendeu a tocar violão sozinha e, para incentivá-la, seu pai a presenteou com o instrumento. Familiarizava-se com o mundo da música frequentando assiduamente programas de rádio e de auditório.

Dona de uma voz grave, começou a carreira em 1950 e em 1953 já era uma das grandes divas do rádio, interpretando Dorival Caymmi, Noel Rosa, Ary Barroso, entre outros. Em 1952 gravou pela Continental seu primeiro LP, Menino Grande.

Ao lado de Maysa Matarazzo, Ângela Maria e Dolores Duran, consagrou-se como uma das maiores intérpretes do samba-canção (gênero surgido na década de 1930). O samba-canção é comparado ao bolero, pela exaltação do amor romântico ou pelo sofrimento de um amor não realizado.

Foi casada duas vezes, o primeiro não durou muito e nem teve filhos nesse matrimônio. Seu segundo casamento foi com o cantor Jorge Goulart. A filha do casal, Vera Lúcia, se tornou Miss Mundo Brasil em 1963. Devido à atuação política de Goulart no Partido Comunista, teve que se autoexilar depois do Golpe de 1964, ou seja, morou em outros países com a filha e o marido.

Vídeo: Aline Lima

DISCOGRAFIA
Canta Nora Ney (1955)
Eu Sou Nora Ney e Canto (1957)
Nora Ney (1958)
Ninguém me Ama (1960)
Mudando de Conversa (1968)
Tire seu Sorriso do Caminho, que Eu Quero Passar com a Minha Dor (1972)
Jubileu de Prata - Nora Ney e Jorge Goulart (1977)
Meu Cantar É Tempestade de Saudade (1987)

MORTE
Morreu  aos 82 ano em razão de falência múltipla dos órgãos. Ela estava internada há três meses no Hospital Samaritano, no Rio de Janeiro.

Fonte:pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário:

Postar um comentário