TEMÁTICA

Este espaço destacará o túmulo de personalidades famosas do meio artístico e histórico- cultural, sem qualquer conotação político-partidária ou religiosa doutrinária.


ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades famosas. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural brasileiro. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.

“MEMENTO, HOMO, QUÍA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó has de voltar.”

'REVERTERE AD LOCVM TVVM'

Retornarás de onde vieste

sábado, 19 de maio de 2018

LUIZ GASPARETTO - Arte Tumular - 456 - Cremado -



CREMAÇÃO
Seu corpo foi cremado

Local: Memorial Parque Paulista, em Embu das Artes, São Paulo.




PERSONAGEM
Luiz Antonio Alencastro Gasparetto (São Paulo, 16 de agosto de 1949 — Ibid., 3 de maio de 2018) foi um psicólogo, médium psicopictográfico, escritor e locutor brasileiro.
Morreu aos 68 anos.

SINOPSE
Durante quase três anos foi apresentador de televisão do programa Encontro Marcado da RedeTV!, que propunha ajudar casos comuns em família ou sociedade. Tinha estreado na televisão, porém, em 1987, com o programa Terceira Visão, na TV Bandeirantes, programa idealizado pelo espírita Augusto Cesar Vanucci. Gasparetto obteve reputação mundial no final da década de 1970 e durante quase toda a década de 1980 por excursionar a Europa com Elsie Dubugras a fim de mostrar os trabalhos que, supostamente, famosos artistas plásticos — como Renoir, Da Vinci, Rembrandt, Toulouse-Lautrec, Modigliani, Picasso, Monet, entre outros — realizavam através de sua mediunidade.

Durante a década de 1980, rompeu com a doutrina espírita e empenhou-se em projetos ligados à psicologia, autoajuda e espiritualidade, escrevendo livros e ministrando cursos com o objetivo do desenvolvimento do ser. Mais recentemente, porém, em 2009, realizou algumas pinturas mediúnicas em seu Espaço Vida e Consciência.

A partir de 2010, manteve suas atividades ligadas à Nova Era com uma literatura metafísica e com a criação do "teatro de autoajuda" ampliando, também, seu veículo de comunicação com o público através das mídias digitais como Site Pessoal, Aplicativo, Página no Facebook e canal oficial no Youtube. Seu último vídeo foi compartilhado na sua página do Facebook no dia 20 de abril de 2018, 13 dias antes de sua morte.

INFÂNCIA  E JUVENTUDE
Luiz Gasparetto nasceu no Bairro do Ipiranga, São Paulo, em 16 de agosto de 1949, em uma família de imigrantes italianos. Seus pais, Aldo e Zíbia Gasparetto, educaram-no dentro da doutrina espírita, que os permitiram entender as preliminares capacidades mediúnicas da criança.

Aos treze anos, os biógrafos anotam que Luiz teria pintado um belo quadro que havia sido influenciado pelo espírito de Claude Monet. Com tal demonstração, foi levado até o famoso Chico Xavier que lhe deu certas instruções e que lhe deu o nome de vários espíritos que pintavam por seu intermédio.

Elsie Dubugras levou-o a uma viagem de dois meses pela Europa, onde Luiz passou a assinar quadros com os nomes de Renoir, Da Vinci, Rembrandt, Toulouse-Lautrec, Modigliani, Picasso, Monet, entre outros. Disse numa entrevista, já adulto: "As pessoas pensam que quando você morre, você se transforma, mas isto não é verdade, permanecemos os mesmos: apenas evoluímos com base nas experiências que fizemos… No entanto, na dimensão em que eles [os pintores falecidos] estão, eles se apresentam diferentes na forma física. Toulouse-Lautrec, por exemplo, quando se aproxima de mim, não tem nenhum problema nas pernas. Parece-me uma pessoa muito alegre e cheia de humor.

MORTE
Em fevereiro de 2018, o medium revelou que havia sido diagnosticado com câncer de pulmão. Gasparetto morreu em 3 de maio do mesmo ano, em decorrência da doença. O velório aconteceu no dia seguinte, no cemitério Memorial Parque Paulista, em Embu das Artes, onde foi realizada também a cremação do corpo.

Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales


Nenhum comentário:

Postar um comentário