TEMÁTICA

Este espaço destacará o túmulo de personalidades famosas do meio artístico e histórico- cultural, sem qualquer conotação político-partidária ou religiosa doutrinária.


ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades famosas. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural brasileiro. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.

“MEMENTO, HOMO, QUÍA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó has de voltar.”

segunda-feira, 1 de maio de 2017

RODOLFO PIRANI - Arte Tumular - 382 - Cemitério da Consolação, São Paulo


ARTE TUMULAR
Mausoléu em formato de capela,  em alvenaria revestido com argamassa e mármores. A entrada é composta por duas colunas estilizadas suportando um portal com uma placa de bronze encimando o portal. Uma porta de bronze encerra a capela. Na lateral direita, três placas de mármore encerra as gavetas, superpostas uma sobre a outra, com as respectivas identificações. A parte superior que recobre o túmulo, quatro pequenos pilares, um de cada lado com uma cruz cristã, tendo no centro um anjo em posição de oração.
Local: Cemitério da Consolação, São Paulo
Rua 4
Foto: Douglas Nascimento
Descrição tumular: Helio Rubiales


PERSONAGEM
Rodolfo Pirani (Osimo, Ancona, Itália, 3 de julho de 1891 - São Paulo, 08 de maio de 1964.Foi um grande comerciante ítalo-brasileiro.
Morreu aos 72 anos de idade.

SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
Chegou ao Brasil com apenas 5 anos de idade,juntamente com a família, radicando-se em São Paulo, mais precisamente no bairro do Brás.

Desde muito cedo, mostrou aptidão para o comércio. Exemplo disso eram algumas brincadeiras de infância, como criar uma lojinha com seus brinquedos.

Mais tarde, trabalhou como comerciante, próximo de sua residência. Rodolfo Pirani era um homem alto, esguio, altivo e alegre, dedicado ao trabalho e ao lar, criando os filhos com exemplo e caráter, impressos até hoje em seus netos e bisnetos.

Naturalizou-se brasileiro, preocupando-se muito com os problemas políticos e sociais da época, inclusive destacando-se como patrão consciente e preocupado com seus funcionários. Foi um dos pioneiros do comércio no Brasil. As casas Pirani representaram negócios da maior expressão na época,inovando e lançando novas técnicas de vendas e promoção, como também arregimentando uma imensa clientela, não só no bairro do Brás, mas em toda cidade de São Paulo.

Foi casado com Maria Tereza Pirani e teve quatro filhos.

MORTE
Faleceu no dia 8 de maio de 1964, em São Paulo, deixando, além dos filhos, vários netos e bisnetos. Todos que o conheceram guardam com carinho a lembrança de sua forte presença e as lições de caráter, luta e dedicação à Pátria, ao lar e aos filhos, tendo sempre ao lado sua companheira Maria Tereza
Fonte: Internet e saopauloantiga.com.br
Formatação e pesquisa: Helio Rubiales

Nenhum comentário:

Postar um comentário