TEMÁTICA

Este espaço destacará o túmulo de personalidades famosas do meio artístico e histórico- cultural, sem qualquer conotação político-partidária ou religiosa doutrinária.


ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades famosas. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural brasileiro. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.

“MEMENTO, HOMO, QUÍA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó has de voltar.”

domingo, 15 de novembro de 2015

BLOTA JR. - Arte Tumular - 335 - Cemitério do Araçá, São Paulo




ARTE TUMULAR

Local: Cemitério do Araçá, São Paulo
  


PERSONAGEM
José Blota Jr. , conhecido como Blota Jr., (Ribeirão Bonito, 3 de março de 1920 — São Paulo, 22 de dezembro de 1999) foi um polímata brasileiro, tendo atuado como advogado, locutor, apresentador, político, empresário, jornalista, roteirista e produtor de rádio e televisão.
Morreu aos 79 anos de idade.

SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
Iniciou sua carreira jornalística aos 12 anos de idade, escrevendo para o jornal "Correio d'Oeste", de Ribeirão Bonito. Tentou por cinco vezes entrar para o rádio antes de ingressar na Cosmos, mudando-se depois para a Rádio Cruzeiro do Sul, onde foi diretor artístico. Em 1943, foi contratado pela Rádio Record, onde exerceu praticamente todas as funções, inclusive diretor de esportes e diretor artístico. Foi locutor da CBS e NBC de Nova Iorque. Em 1950, formou-se na Faculdade de Direito da Universidade de São Paulo. Quando da inauguração, em 1953, da TV Record, foi um dos apresentadores do show inaugural ao lado de sua esposa, Sonia Ribeiro. Foi também diretor-superintendente da Rádio Panamericana, atual Jovem Pan, e diretor-vice-presidente da fábrica de bicicletas Caloi. Nos anos 1980, foi um dos sócio-fundadores da TV Princesa d'Oeste, hoje TVB Campinas.

POLÍTICA
Na política, atuou como deputado estadual, cumprindo três mandatos, e deputado federal (1975-1979), sendo vice-líder e líder do governo na Câmara. Foi também o primeiro secretário de Esportes e Turismo do Estado de São Paulo, em 1965. Seu último cargo público foi o de secretário de Informação e Comunicações do Estado de São Paulo, entre 1979 e 1981.

SINOPSE ARTÍSTICA
Ao longo das suas seis décadas de carreira, Blota Jr. apresentou quase duzentos programas diferentes . Com Sonia Ribeiro, era o mestre de cerimônias do Troféu Roquette Pinto, do qual foi o criador, do "Show do Dia 7" e dos festivais da Música Popular Brasileira na TV Record. Apresentou programas também na TV Rio, TV Gaúcha, TV Tupi, TV Bandeirantes e SBT. Ainda trabalhou na Copa do Mundo de Futebol de 1974 e nos Jogos Olímpicos de 1988. Foi vice-presidente da Associação dos Pioneiros da Televisão, hoje Pró-TV, presidente da Associação de Funcionários das Emissoras Unidas, AFEU, e presidente da Associação dos Cronistas Esportivos do Estado de São Paulo, ACEESP.

CASAMENTO
Tornou-se viúvo, em 1987, de Sonia Ribeiro, com quem teve três filhos: José Blota Neto, José Francisco e Sonia Ângela, além de oito netos.

MORTE
Blota morreu  em Sao Paulo por falência múltipla  de órgãos. Ele estava internado  no Hospital Sírio-Libanês, onde era tratado por uma hematologista.

Fonte:pt.wikipedia.org
Formatação:Helio Rubiales

Nenhum comentário:

Postar um comentário