TEMÁTICA

Este espaço destacará o túmulo de personalidades famosas do meio artístico e histórico- cultural, sem qualquer conotação político-partidária ou religiosa doutrinária.


ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades famosas. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural brasileiro. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.

“MEMENTO, HOMO, QUÍA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó has de voltar.”

sexta-feira, 13 de novembro de 2015

ÉDSON CABARITI (BOLINHA) - Arte Tumular - 334 - Cemitério de Paquetá, Santos, São Paulo






PERSONAGEM
Edson Cabariti (Santos, 16 de julho de 1936 – São Paulo, 1º de julho de 1998), mais conhecido artisticamente como Bolinha, foi um radialista e apresentador brasileiro de TV.
Morreu aos 61 anos de idade.

SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
 Um sírio e ítalo-brasileiro, Edson mudou-se ainda cedo com a sua família para a cidade de Araçatuba. Edson iniciou a carreira como locutor esportivo após ter feito bicos como feirante, engraxate e balconista.

Na TV Excelsior, Edson começou como o responsável pelos flashes esportivos do programa Últimas Notícias. A estreia como apresentador de programa de auditório ocorreu quase por acaso, em janeiro de 1967: convocado a substituir o apresentador Abelardo Barbosa, que havia se desentendido com os diretores da emissora, Edson não apenas levou o programa adiante como também aumentou a sua audiência. Revelou muitos talentos tais como Eneida Laís, Margareth, Ítalo Ayala e Jarbas Piccioli – todos cantores de altíssimo padrão (fonte: YouTube).

CLUBE DO BOLINHA
Edson veio a tornar-se célebre como o apresentador do programa Clube do Bolinha, o qual ficou no ar durante 20 anos na TV Bandeirantes entre 1974 e 1994 e o qual alcançou 8 pontos de audiência – então, um dos programas-líderes da emissora em audiência.

Uma das atrações do Clube era o quadro "Eles e Elas", no qual transformistas e travestis apresentavam-se. Os mais variados artistas tais como Alan e Aladim, Leandro e Leonardo e Arnaldo Antunes voltaram ao programa após já famosos para agradecer ao programa bem como ao próprio Edson o apoio no início de suas carreiras.

A maior marca do Clube era o elenco de bailarinas, conhecidas carinhosamente como "boletes". O elenco de "boletes" era composto também por certas ex-chacretes.".


CURIOSIDADE
Um fato dos mais marcantes em toda a trajetória do apresentador – fato o qual ele mesmo sempre ressaltava em pessoa – foi sobre o cantor Paulo Sérgio. No dia 27 de julho de 1980, Paulo Sérgio fez no Clube aquela que seria a sua última apresentação na televisão. Horas após deixar os estúdios da TV Bandeirantes em São Paulo, o cantor sofreria um derrame cerebral e viria a falecer no dia 29 de julho.

MORTE
Edson veio a falecer às 2hs30 de 1º de julho de 1998 aos 61 anos – apenas 15 dias antes de completar o 62º aniversário –, vitimado por um câncer no aparelho digestivo. Estava internado no Hospital 9 de Julho para tratamento da doença que havia sido descoberta três anos antes de sua morte. Nos seis meses antes de Edson falecer, a doença havia se agravado.
Edson está sepultado no cemitério do Paquetá em Santos, a sua cidade natal.

Fonte:pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário:

Postar um comentário