TEMÁTICA

Este espaço destacará o túmulo de personalidades famosas do meio artístico e histórico- cultural, sem qualquer conotação político-partidária ou religiosa doutrinária.


ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades famosas. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural brasileiro. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.

“MEMENTO, HOMO, QUÍA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó has de voltar.”

sexta-feira, 14 de agosto de 2009

MÁRIO ZAN - 65 - Arte Tumular - Cemitério da Consolação, São Paulo




ARTE TUMULAR
Base tumular em granito polido em dois níveis. Na cabeceira do tumulo ergue-se uma construção dividida em 3 partes de modo a representar um acordeão. Na parte superior é revestida por placas de granitos que lembram o teclado do instrumento. Na parte central há um nicho com vidro com a fotografia do artista.
CURIOSIDADE
Em vida, ele venerava tanto a Marquesa de Santos, que acabou comprando um túmulo ao lado dela, para que fosse sepultado, o que de fato aconteceu.
LOCAL: Rua 5, Terreno 5, Cemitério da Consolação, São Paulo
Fotos: Simone (Picassaweb)
Descrição tumular:HRubiales

PERSONAGEM
Mario Giovanni Zandomeneghi, mais conhecido como Mario Zan, (Roncade, 9 de outubro de 1920 — São Paulo 9 de novembro de 2006) foi um acordeonista ítalo-brasileiro, famoso por suas canções típicas das festas juninas do centro-sul do Brasil. Emigrou com sua família para o Brasil ainda na década de 1920 e instalou-se na região de Catanduva, São Paulo.
Morreu aos 86 anos de idade.
BIOGRAFIA
Começou a tocar acordeão aos treze anos de idade foi considerado um dos melhores acordeonistas do Brasil, tendo se tornado pelas composições (mais de mil gravadas) das mais populares canções das festas juninas paulistas como a Quadrilha Completa, Balão Bonito,Noites de Junho ou Pula a Fogueira.
Foi o autor dos Hinos comemorativos dos 400 anos e 450 anos da cidade de São Paulo.
Luís Gonzaga disse uma vez Mario Zan era o verdadeiro "rei da sanfona".[1]
Duas de suas canções ultrapassaram as fronteiras brasileiras: Nova Flor (gravado em inglês como "Love Me Like a Stranger", em espanholcomo "Los Hombres no Deben Llorar", em alemão como "Fremde oder Freunde") e o Hino do Quarto Centenário de São Paulo.
MORTE
Mário Zan morreu após uma parada cardíaca, em São Paulo. Seu corpo foi velado na Assembléia Legislativa de São Paulo e sepultado noCemitério da Consolação, em frente ao jazigo onde está enterrada a Marquesa de Santos, conforme desejo do próprio Mário, grande admirador da amante de Dom Pedro I e que cuidou por muitos anos da conservação do túmulo da Marquesa.

Fonte: Wikipidea
Formatação, pesquisa : HRubiales

Nenhum comentário:

Postar um comentário