TEMÁTICA

Este espaço destacará o túmulo de personalidades famosas do meio artístico e histórico- cultural, sem qualquer conotação político-partidária ou religiosa doutrinária.


ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades famosas. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural brasileiro. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.

“MEMENTO, HOMO, QUÍA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó has de voltar.”

segunda-feira, 28 de dezembro de 2015

IVON CURI - Arte Tumular - 388 - Cemitério Municipal de Caxambu, Minas Gerais




ARTE TUMULAR 
Base tumular retangular em granito polido com um tampo na parte superior. Na cabeceira tumular, com formato de lápide irregular com as extremidades arredondadas, destaca-se um disco em bronze com o rosto de Cristo. Na parte inferior da base tumular, uma placa de bronze com o seu nome e datas.
Local:  Cemitério Municipal de Caxambu, Minas Gerais
Foto: Emanuel Messias
Descrição tumular: Helio Rubiales





PERSONAGEM
Ivo José Curi, conhecido como Ivon Curi, (Caxambu, 5 de junho de 1928 — Rio de Janeiro, 24 de junho de 1995) foi um cantor, compositor e ator brasileiro.
Morreu aos 67 anos de idade.

SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
 Passou a infância e parte da adolescência em sua cidade natal. Era filho de José Kalil Curi e de Maria Curi, e irmão do famoso locutor esportivo Jorge Curi e do locutor noticiarista Alberto Curi, ambos também falecidos. Foi batizado na Igreja Matriz de Caxambu, em 29 de março de 1929, pelo monsenhor José João de Deus, tendo como padrinhos Assad Safade e sua irmã mais velha, Jenny Curi, a qual passaria a criá-lo depois da morte de sua mãe, em 1936 . No início dos anos 1940 mudou-se para o Rio de Janeiro. Trabalhou inicialmente na Pan American Airlines em terra.

CARREIRA
Iniciou sua carreira artística como cantor em 1947, contratado como cantor principal da orquestra do maestro Zaccarias, do Hotel Copacabana Palace.

Notabilizou-se também por suas participações como ator e cantor em inúmeras chanchadas da Atlântida durante a década de 50.

Em 1960, gravou, ao lado de Elizeth Cardoso, um jingle para a campanha vice-presidencial de João Goulart.

Em 1966, participou do programa Adoráveis Trapalhões com Renato Aragão, Wanderley Cardoso e Ted Boy Marino.

Nos anos 80 foi homenageado pelo diretor Ivan Cardoso em As Sete Vampiras e O Escorpião Escarlate, filmes nos quais reproduz o seu tipo aristocrático e abobalhado dos tempos de Atlântida.

Seu último personagem em televisão foi o gaúcho Gaudêncio da Escolinha do Professor Raimundo.

Também conhecido pela dublagem brasileira de Lumière, o castiçal de A Bela e a Fera, clássico da Disney.

Casado com Ivone Curi, deixou quatro filhos, Ivana, Ivan, Ivna e Ivo.

MORTE
Ivon Curi morreu aos 67 anos de idade na cidade do Rio de Janeiro devido à falência múltipla dos orgãos e insuficiência respiratória, em 24 de junho de 1995.

Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales




Nenhum comentário:

Postar um comentário