TEMÁTICA

Este espaço destacará o túmulo de personalidades famosas do meio artístico e histórico- cultural, sem qualquer conotação político-partidária ou religiosa doutrinária.


ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades famosas. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural brasileiro. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.

“MEMENTO, HOMO, QUÍA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó has de voltar.”

quarta-feira, 18 de novembro de 2015

SÉRGIO MURILO - Arte Tumular - 345 - Desconhecido





PERSONAGEM
 Sérgio Murilo Moreira Rosa , conhecido artisticamente como Sérgio Murilo (Rio de Janeiro, 2 de agosto de 1941 — Rio de Janeiro, 19 de fevereiro de 1992) foi um cantor e compositor que fez parte da Jovem Guarda.
Morreu aos 50 anos de idade.

SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
Carioca, começa na carreira artística aos 12 anos, como apresentador infantil da TV Rio. Poucos anos depois ganha prêmios como cantor em programas de rádio, participando do elenco do programa Trem da Alegria, da Rádio Tamoio. Em 1958 estréia no cinema, com o filme "Alegria de Viver", e no ano seguinte canta na Rádio Nacional e é contratado pela Columbia, que lança "Menino Triste" e "Mudou Muito".

Em seguida, graças a outros sucessos como Broto legal, "Rock de Morte" e "Marcianita" (regravada mais tarde por Caetano Veloso), surge o primeiro LP, "Sergio Murilo". A Revista do Rock o elegeu Rei do Rock por suas versões de sucessos norte-americanos, notadamente de Paul Anka e Neil Sedaka.
Vídeo: canal de cinegrar

Nos anos 60 apresentou o programa Alô Brotos com Sônia Delfino da TV Tupi, mas depois perdeu espaço no meio artístico e morou por uma época no Peru.

MORTE
Morreu em 1992, aos 50 anos, vitima de câncer no fígado


Vídeo: Mauro Veiga
Fonte:pt.wikipedia.org.
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário:

Postar um comentário