TEMÁTICA

Este espaço destacará o túmulo de personalidades famosas do meio artístico e histórico- cultural, sem qualquer conotação político-partidária ou religiosa doutrinária.


ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades famosas. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural brasileiro. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.

“MEMENTO, HOMO, QUÍA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó has de voltar.”

segunda-feira, 16 de novembro de 2015

HÉLIO ANSALDO - Arte Tumular - 337 - Cemitério São Paulo, São Paulo


Local: Cemitério São Paulo, São Paulo


PERSONAGEM
Hélio Ansaldo (Santos , 16 de junho de 1924 — São Paulo, 6 de dezembro de 1997) foi um jornalista, apresentador e político brasileiro. Foi locutor de rádio e apresentador de televisão, um dos pioneiros da televisão . Atuou na apresentação, redação e direção de programas esportivos, jornalísticos, humorísticos, musicais e de entretenimento em geral.
Morreu aos 72 anos de idade.

SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
CARREIRA
No dia da inauguração da TV Record, em 27 de setembro de 1953, às 20 horas, Hélio Ansaldo entrou no ar com o "Boa Noite" e apresentou, ao lado de Sandra Amaral, um programa musical.

Um de seus mais notórios trabalhos na televisão foi no comando do Record em Notícias, nas décadas de 70 e 80, popularmente conhecido como "Jornal da Tosse", ao lado de Blota Jr., Murilo Antunes Alves, Aurélio Campos, José Serra, João Mellão Neto, Arnaldo Faria de Sá, Maria Lydia Flandoli, Padre Godinho, Heitor Augusto e Wilson Fittipaldi (o Barão), entre outros. Sempre encerrava o programa com a seguinte mensagem: "Que Deus nos proteja e nos torne instrumentos de Sua paz".

Também foi apresentador de programas na Rede Vida e na TV Mar de Santos, na década de 90.

Atuou como ator de cinema no filme Fuzileiro do Amor (1956), cujo protagonista era Amácio Mazzaropi; foi compositor musical, e também teve uma carreira política, sendo eleito deputado estadual no estado de São Paulo em 1990, pelo PDS, tendo sua base eleitoral no município de Santos. O ex-deputado estadual e jornalista

MORTE
Hélio Ansaldo, 72, morreu no Hospital São Luiz, em São Paulo (Itaim Bibi, região sudoeste). Segundo a supervisora do Hospital São Luiz, Rosa Maciel, a causa da morte do apresentador foi insuficiência respiratória, provocada por um câncer. Hélio Ansaldo foi velado na Assembléia Legislativa de São Paulo.

Fonte:pt.wikipedia.org
Formatação:Helio Rubiales

Nenhum comentário:

Postar um comentário