TEMÁTICA

Este espaço destacará o túmulo de personalidades famosas do meio artístico e histórico- cultural, sem qualquer conotação político-partidária ou religiosa doutrinária.


ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades famosas. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural brasileiro. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.

“MEMENTO, HOMO, QUÍA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó has de voltar.”

sexta-feira, 23 de outubro de 2015

ANKITO - Arte Tumular - 313 - Cemitério do Catumbi, Rio de Janeiro




ARTE TUMULAR 
Local: Cemitério do Catumbi, Rio de Janeiro






PERSONAGEM
Ankito, nome artístico de Anchizes Pinto (São Paulo, 26 de fevereiro ou 26 de novembro de 1924 — Rio de Janeiro, 30 de março de 2009) foi um ator brasileiro, considerado um dos cinco maiores nomes das chanchadas.
Morreu aos 85 anos de idade.

SINOPSE BIBLIOGRÁFICA

CARREIRA
De família circense, era filho do palhaço Faísca e sobrinho do famoso palhaço Piolim. Era casado com a atriz Denise Casais.  Passou a atuar profissionalmente no circo aos sete anos de idade, no globo da morte. Onze anos mais tarde, passou a atuar em shows no Cassino da Urca, como acrobata, na época considerado um esporte, e que lhe rendeu cinco vezes o título de campeão sul-americano. Em seguida ingressou no teatro, substituindo por uma noite o ator principal da companhia, porém fez sucesso e permaneceu no elenco. Contracenou com Grande Otelo no show Bahia Mortal e, a essa altura, sua carreira já estava consolidada. Com o sucesso no teatro, em 1952, foi convidado para fazer três dias de filmagem no filme É Fogo na Roupa, mas o sucesso foi tanto que os três dias passaram a ser 39, tendo inclusive sido colocado o seu nome em primeiro lugar nos créditos do filme. Continuou a fazer shows pelo Brasil com uma companhia de vedetes, em clubes e cinemas, que sempre exibiam um filme dele antes de cada espetáculo.

Protagonizou muitos filmes, entre eles Três Recrutas, Marujo por Acaso, Quem Roubou Meu Samba?, Pé na Tábua, Garota Enxuta, É de Chuá!, De Pernas pro Ar, Um Candango na Belacap, Pistoleiro Bossa Nova, Os Três Cangaceiros, Vai que É Mole, O Rei do Movimento, O feijão é nosso, O grande pintor, Angu de caroço, O boca de ouro, E o Bicho Não Deu, Sai Dessa, Recruta e Metido a Bacana, onde a dupla Ankito e Grande Otelo apareceu pela primeira vez. Estes filmes foram lançados de 1952 a 1961, período do apogeu de sua carreira artística.

 Em 1960, sofreu um acidente grave durante as filmagens Um Candango na Belacap, quando caiu de um prédio em construção. O acidente afetou a sua capacidade de fazer acrobacias e abreviou sua carreira cinematográfica.

 Em 1966, participou do filme em episódios As Cariocas, de Fernando de Barros, Walter Hugo Khouri e Roberto Santos. Atuou também em O Escorpião Escarlate, de Ivan Cardoso e Beijo 2348/72, de Walter Rogério, ambos de 1990.

Na televisão, participou de muitos programas humorísticos. Fez parte do elenco da TV Tupi, da Record e da Bandeirantes. Mais tarde, na Globo, além das participações nos humorísticos, fez parte do elenco das telenovelas Gina, com a Cristiane Torloni; Marina, com Edson Celulari e A Sucessora, de Manoel Carlos. Em 2005, fez o personagem "Falecido", na telenovela Alma Gêmea. Atuou também em inúmeras minisséries e participou da primeira versão do Sítio do Picapau Amarelo, onde fez os personagens Soldadinho de Chumbo e o Curupira.

MORTE
Morreu devido a um câncer no pulmão

Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales


Nenhum comentário:

Postar um comentário