TEMÁTICA

Este espaço destacará o túmulo de personalidades famosas do meio artístico e histórico- cultural, sem qualquer conotação político-partidária ou religiosa doutrinária.


ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades famosas. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural brasileiro. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.

“MEMENTO, HOMO, QUÍA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó has de voltar.”

sábado, 29 de abril de 2017

ITALO ROSSI -Arte Tumular - 375 - Cemitério são Francisco Xavier (Cemitério do Caju), Rio de Janeiro


A atriz Marília Pêra no seu velório


Ítalo Rossi
Nome completoÍtalo Balbo Di Fratti Coppola Rossi
Nascimento19 de janeiro de 1931
Botucatu São Paulo
Nacionalidadebrasileiro
Morte2 de agosto de 2011 (80 anos)[1]
Rio de Janeiro Rio de Janeiro
OcupaçãoAtor



PERSONAGENS
Italo Balbo Di Fratti Coppola Rossi (Botucatu, 19 de janeiro de 1931 — Rio de Janeiro, 2 de agosto de 2011) foi um ator brasileiro.
Morreu aos 80 anos de idade.

SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
Em 1959 formou a Companhia Teatro dos Sete, ao lado de Fernanda Montenegro, Sérgio Britto, Gianni Ratto, Luciana Petruccelli, Alfredo Souto de Almeida e Fernando Torres, e apresentou no Teatro Municipal do Rio de Janeiro a peça O Mambembe, de Artur Azevedo.

A montagem é considerada pela crítica um marco no teatro brasileiro. Com o Teatro dos Sete, Ítalo participou do Grande Teatro Tupi, também ao lado dos amigos Fernanda Montenegro, Sérgio Britto, Fernando Torres, Manoel Carlos, entre outros.

O teleteatro apresentou um repertório de mais de 450 peças. Depois de seis anos no ar na TV Tupi, o Grande Teatro transferiu-se, para a TV Rio e depois, para a Rede Globo. Foi um programa formador de plateia, e referência na história da televisão e do teatro brasileiro.

Fez participações importantes em telenovelas como Escrava Isaura, Que Rei Sou Eu?, Araponga, Senhora do Destino e Belíssima.

Também foi o Rei Minos no episódio "O Minotauro" do Sítio do Pica-pau Amarelo em 1978. Seu último papel na TV foi no programa humorístico Toma Lá, Dá Cá (2008), da Rede Globo, em que interpretou o personagem Seu Ladir que popularizou o bordão "É mara!" ("É maravilhoso!"). Em janeiro de 2011 comemorou 60 anos de carreira.

MORTE
Rossi esteve internado desde 31 de julho de 2011 no hospital Copa D'Or, no Rio de Janeiro. Morreu, aos 80 anos, por volta das 16h do dia 2 de agosto de 2011, devido a complicações respiratórias

Fonte: pt.wikiupedia.org
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário:

Postar um comentário