TEMÁTICA

Este espaço destacará o túmulo de personalidades famosas do meio artístico e histórico- cultural, sem qualquer conotação político-partidária ou religiosa doutrinária.


ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades famosas. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural brasileiro. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.

“MEMENTO, HOMO, QUÍA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó has de voltar.”

terça-feira, 2 de fevereiro de 2016

JORGE GUINLE - Arte Tumular - 345 - Cemitério São João Batista, Rio de Janeiro





ARTE TUMULAR 
Complexo tumular em formato de capela, totalmente em mármore e portal em bronze, seguindo a linha clássica greco romana. Na parte frontal (entrada) erguem-se duas colunas dóricas, uma de cada lado do portal, sustentando a cobertura em formato de capitel, encimada por uma cruz latina, sobre o portal trabalhado em bronze e vidro, destaca-se o nome da família. Na entrada, servida por pequena escadaria, erguem-se de cada lado vasos estilo grego adornadas por uma guirlanda. Todo o perímetro tumular é cercado por um gradil, também em bronze, com uma pequena portinhola de acesso.

Local: Cemitério São João Batista, Rio de Janeiro, Brasil
Fotos: Raul Lisboa,
Descrição tumular: Helio Rubiales




PERSONAGEM
Jorge Guinle, também conhecido como Jorginho Guinle (Petrópolis, 5 de fevereiro de 1916 — Rio de Janeiro, 5 de março de 2004) foi um socialite, playboy e herdeiro milionário brasileiro pertencente a uma família tradicional da elite financeira e social carioca.
Morreu aos 88 anos de idade.

SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
Viveu a época áurea do Rio de Janeiro entre a década de 1930 e 50, onde conheceu e acredita-se que tenha tido relações amorosas com diversas atrizes de Hollywood, como Marilyn Monroe e Hedy Lamarr. Residiu no hotel Copacabana Palace (fundado por seu tio, Octávio Guinle) até a sua morte, gabando-se de nunca ter tido de trabalhar na vida.
Gastou muito de sua fortuna com ininterruptas festas luxuosas, viagens pelo mundo, presentes e mulheres, entre elas Rita Hayworth, Marilyn Monroe, Romy Schneider, Kim Novak, Ava Gardner, Susan Hayward, Jayne Mansfield, Marlene Dietrich e Janet Leigh. Jorge se orgulhava de ter gasto a fortuna de, na época, R$ 100 milhões de reais (US$ 2 bilhões em valores atuais) que lhe foi deixada de herança . "Vivi o que quis, quando eu quis", frase na qual ele mesmo se definia.

Guinle também escreveu o primeiro livro editado no Brasil sobre jazz (Jazz panorama), uma de suas paixões. Sua autobiografia foi titulada Um século de boa vida. Era também declaradamente ateu.


CASAMENTOS E FILHOS
Jorge Eduardo Guinle foi casado três vezes. O primeiro casamento foi com a americana Dolores Sherwood, com quem teve o filho Jorge Eduardo Guinle Filho, o artista plástico Jorginho, morto em decorrência da AIDS, em 1987.

O segundo casamento de Jorginho foi com Ionita Salles Pinto, moça criada em Ipanema e muito famosa dentre os intelectuais do bairro. Ionita estudou teatro com Leila Diniz, de quem foi grande amiga e também participou do filme de Domingos de Oliveira, "Todas as Mulheres do Mundo". Ionita foi considerada uma das mulheres mais bonitas do Brasil. Do casamento com Jorge Guinle nasceu a filha Georgiana Guinle, escritora, ex-apresentadora de televisão e atualmente evangélica. Georgiana é membro da Igreja Bola de Neve (igreja que ficou famosa depois que a modelo Monique Evans declarou fazer parte do rol de membros).

O terceiro casamento de Jorge foi com uma moça de classe média baixa de Copacabana, Maria Helena, com quem teve seu filho Gabriel.

 MORTE
 O playboy Jorginho Guinle, 88, morreu na madrugada desta sexta-feira no hotel Copacabana Palace, no Rio de Janeiro, vítima de um aneurisma na aorta abdominal. Guinle havia sido internado na última segunda-feira no hospital de Ipanema mas, nesta quinta , assinou um termo de responsabilidade para deixar o hospital, após se recusar a retirar o aneurisma.

Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação:Helio Rubiales

Nenhum comentário:

Postar um comentário