TEMÁTICA

Este espaço destacará o túmulo de personalidades famosas do meio artístico e histórico- cultural, sem qualquer conotação político-partidária ou religiosa doutrinária.


ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades famosas. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural brasileiro. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.

“MEMENTO, HOMO, QUÍA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó has de voltar.”

sábado, 16 de janeiro de 2016

HERVAL ROSSANO - Arte Tumular - 340 - Crematório de Vila Alpina, São Paulo





ARTE TUMULAR
Seu corpo foi cremado e as cinzas entregues à família.
Local: Crematório da Vila Alpina, São Paulo




PERSONAGEM
Herval Rossano, nome artístico de Herval Abreu Pais (Campos dos Goytacazes, 23 de abril de 1935 — São Paulo, 8 de maio de 2007), foi um ator e diretor de televisão brasileiro.
Morreu aos 72 anos de idade.

SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
Foi ator de cinema, e seu primeiro filme foi Luzes nas Sombras em 1952, no qual fez uma participação muito pequena. Apesar dos papéis pequenos em filmes, e de ganhar pouco, participava de dois filmes por ano. Logo, passou a pertencer ao elenco fixo da Multifilmes, chegando a galã de Eva Wilma, e trabalhando ao lado de Procópio Ferreira e Maria Vidal.

É o diretor brasileiro de televisão com o maior número de telenovelas vendidas para o exterior. Viveu no Chile por cinco anos. Foi diretor no Canal 13 da Universidade Católica do Chile.

Dirigiu telenovelas de época, de sucesso e marcos da televisão, como Escrava Isaura, primeira versão da Rede Globo. Cabocla, A Sucessora, Maria, Maria, A Moreninha, todas na Rede Globo, e Dona Beija, na Rede Manchete.

Em 1977, substituiu o ator Rogério Fróes que, por problemas de saúde, não pôde atuar em À Sombra dos Laranjais, acumulando as funções de protagonista e diretor da telenovela.

Seus últimos trabalhos foram a nova versão de A Escrava Isaura, na TV Record e Cristal, no SBT. Acabou destituído da Direção Geral de Teledramaturgia do SBT, devido a seu estado de saúde, sendo substituído por David Grimberg.



Na Rede Bandeirantes, chegou a ser contratado para dirigir a novela Paixões Proibidas, mas ele e a autora contratada, Ana Maria Moretzsohn, deixaram a emissora antes mesmo do início das gravações, sendo substituídos por Ignácio Coqueiro e Aimar Labaki, respectivamente.

CASAMENTOS
Foi casado com a cantora chilena Doris Guerrero, da dupla Doris  e Rossie. Depois, com a atriz Nívea Maria, por vinte e sete anos. Desde 2005, era casado com a atriz Mayara Magri. Teve quatro filhos: Vanessa, com a atriz Nívea Maria; e Elizabeth, Henrique e Herval Abreu, com a cantora Doris Guerrero. O último seguiu seus passos e hoje é diretor de telenovelas em Santiago do Chile .

MORTE
Herval Rossano faleceu enquanto dormia, aos 72 anos de idade, deixando quatro filhos. Foi cremado no Crematório da Vila Alpina, na cidade de São Paulo.

Fonte:pt.wikipedia.org
Formatação:Helio Rubiales






Nenhum comentário:

Postar um comentário