TEMÁTICA

Este espaço destacará o túmulo de personalidades famosas do meio artístico e histórico- cultural, sem qualquer conotação político-partidária ou religiosa doutrinária.


ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades famosas. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural brasileiro. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.

“MEMENTO, HOMO, QUÍA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó has de voltar.”

terça-feira, 3 de março de 2015

JOSÉ RICO - Arte Tumular - 294 - Cemitério da Saudades, Americana, São Paulo

 Lápide
 Detalhe
Detalhe
Detalhe

ARTE TUMULAR
Base tumular em granito negro, tendo na cabeceira tumular uma lápide em bronze com uma escultura em relevo do cantor, destacando os adereços que o mesmo costumava usar em seus shows. Do lado destaca-se a letra da música mais famosa da dupla. Na parte inferior está escrito "O fenômeno da música sertaneja", acompanhado do seu nome e datas..

Local: Cemitério da Saudades, Americana, São Paulo
Foto: Jessé Mendonça Lino Neto
Descrição tumular: Helio Rubiales





PERSONAGEM
José Rico, nome artístico de José Rico Alves dos Santos (São José do Belmonte, 29 de junho de 1946 - Americana, 3 de março de 2015), foi um cantor brasileiro de música sertaneja. Fez parte da importante dupla sertaneja Milionário e José Rico.
Morreu aos 68 anos de idade.

SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
José Rico também foi um grande compositor, e a música Estrada da Vida é de sua autoria, talvez o maior sucesso da vitoriosa trajetória da dupla, que deu título ao filme Na estrada da vida, estrelado pelos mesmos. A dupla também atuou em outro filme, Sonhei com você, dirigido por Ney Sant'Anna. Por ter sido criado na cidade de Terra Rica, no estado do Paraná, desde os dois anos de idade, José Rico acabou adotando, e registrando em cartório, o nome José Rico Alves dos Santos, em alusão à cidade paranaense onde viveu sua infância. O apelido foi inventado por um padre, ainda durante a infância de José Rico. Outra probabilidade seja talvez herdada de Johnny Cash, de uma tradução quase literal de seu nome. Considerando que Johnny Cash teve reconhecimento mundial somente na época em que José Rico formou dupla com Milionário, juntos há mais de 40 anos .



 Em meados do ano de 1969, José Rico e seu já parceiro de dupla, Milionário, se encontravam na cidade de Dourados, MS, em uma barbearia, do saudoso barbeiro e compositor Armando Perrupato, quando conversavam sobre as músicas de Armando que seriam cantadas pela dupla, e quem sabe, algum dia, gravadas. Mas juntamente com eles estava um jovem de nome Victor Wagner (não o da novela) que no próximo ano estaria trabalhando em S.Paulo como diretor artístico da gravadora Califórnia, do também saudoso Mario Vieira. Armando Perrupato, amigo desse jovem diretor de gravadora, me contou que no ano seguinte a dupla procurou a gravadora Califórnia, e ao se encontrarem com Mario Vieira, este estava com Victor Wagner ao seu lado. Mário Vieira relutou muito em gravar a dupla, porque, embora os considerasse ótimos, não via nos mesmos a possibilidade de vender muitos discos, por ainda não estarem na mídia, e nem estarem conhecidos em qualquer região, nem ao menos atuando em circos, como era praxe na época. E também a dupla não tinha dinheiro para gravar por matéria paga, ou seja, adquirindo os primeiros 300 Lps. Victor Wagner, que já havia ouvido a dupla naquela barbearia do compositor Armando Perrupato, passou a insistir tanto com Mario Vieira, que acabou fazendo um acordo de se responsabilizar pela gravação. Talvez nem a dupla soubesse, ou viesse a saber, mas foi assim que se realizou a gravação do primeiro Lp da dupla, pela gravadora Califórnia. O disco em si não chegou a acontecer, mas serviu de cartão de visita para que outros produtores se interessassem pela dupla, e logo em seguida gravaram pela Chantecler, com ótima divulgação em programas de rádio. A gravadora Califórnia, espertamente, trocou a capa daquele primeiro Lp e relançou, ainda mais que a música que fazia sucesso também estava naquele disco, cujo nome do Lp, que era anteriormente "Sempre Sofrendo", passou a ser 'De Longe Também se Ama", e a vendagem começou a aparecer. Conhecido também na região do Vale do Ivinhema, José Rico fez grandes amigos tal qual o saudoso Dino Franco, também compositor.

MORTE
Faleceu no dia 3 de março de 2015, vítima de um Infarto, no município paulista de Americana. Com sua morte, José Rico deixa um legado de fãs de todas as idades e gêneros.

Fonte: pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

Nenhum comentário:

Postar um comentário