TEMÁTICA

Este espaço destacará o túmulo de personalidades famosas do meio artístico e histórico- cultural, sem qualquer conotação político-partidária ou religiosa doutrinária.


ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades famosas. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural brasileiro. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.

“MEMENTO, HOMO, QUÍA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó has de voltar.”

sexta-feira, 21 de dezembro de 2012

SEVERINO ARAUJO OLIVEIRA ' Maestro - Arte Tumular - 224 - Cemitério São João Batista, Botafogo, Rio de Janeiro



ARTE TUMULAR
Placa em mármore com o seu nome e datas gravados
Local: Cemitério São João Batista, Botafogo, Rio de Janeiro
           Gaveta ll86
Foto: Márcio Salles
Descrição tumular: Helio Rubiales



PERSONAGEM
Severino Araújo de Oliveira (Limoeiro, 23 de abril de 1917 — Rio de Janeiro, 3 de agosto de 2012) foi um músico, compositor, maestro e clarinetista brasileiro. Foi regente por quase 70 anos da Orquestra Tabajara, que assumiu com 21 anos de idade.
Morreu aos 95 anos de idade
SINOPSE BIBLIOGRÁFICA
Um dos pioneiros na fusão de elementos do jazz e do choro na música brasileira, bem como na criação de arranjos para Big Band de músicas dos mais variados ritmos, Severino Araújo começou a estudar com o pai - que era mestre de banda militar e também dava aulas de música - aos seis anos, em 1923; aos oito anos, já conhecendo todas as técnicas de solfejo, tomava as lições dos alunos de seu pai, que eram bem mais velhos do que ele, além de ensinar-lhes técnicas musicais; aos doze anos fez seu primeiro arranjo, para uma banda (Banda Municipal de Chã de Rocha, do interior da Paraíba) regida por seu pai, José Severino de Araújo, conhecido como "Mestre Cazuzinha"; aos dezesseis anos já escrevia sucessos de carnaval. Em 1936 foi para a Banda da Polícia Militar da Paraíba como primeiro clarinetista e a partir daí começou sua vida profissional. Em 1937 compôs o seu mais famoso choro: "Espinha de Bacalhau", que se tornou um dos mais executados no Brasil e no exterior. Pouco tempo após chegar a João Pessoa, Severino Araújo foi convidado para atuar na Orquestra Tabajara, como primeiro clarinetista, cuja regência assumiu em 1938, com a morte do até então maestro Olegário de Luna Freire. Em 6 de agosto de 1944, veio para o Rio de Janeiro, a convite de Assis Chateaubriand. Seis meses depois, trouxe a Orquestra Tabajara para se apresentar na Rádio Tupi, em uma parceria que durou 10 anos. Entre 1983 e 1985, recebeu os títulos de "Cidadão Carioca" e "Cidadão Paraibano", pela contribuição dada através da música aos estados do Rio de Janeiro e Paraíba. Em 1988, Severino Araújo alcançou uma marca notável: reger a Orquestra Tabajara por cinquenta anos ininterruptos, completando mais de 14.000 apresentações. Permaneceu na liderança da orquestra até o ano de 2006, quando passou o cargo a seu irmão Jayme Araújo, saxofonista e flautista.
MORTE
Severino Araújo morreu no dia 3 de Agosto de 2012, aos 95 anos de idade, de falência múltipla dos órgãos causada em decorrência de uma infecção urinária.
Fonte:pt.wikipedia.org
Formatação: Helio Rubiales

Um comentário:

  1. A maior lição que recebi,foi a lição de vida que este homem me deu.Fiquei seu fã quando eu tinha sete anos, no auditório da Radio Nacional,embasbacado fiquei,com seu jeito de reger a orquestra,inclusive com uma das mãos no bolso.Fiquei seu fã.
    Quiz o destino que em 1990,eu já motorista de onibus de turismo,atendesse ao transporte de sua orquestra.De lá pra cá nunca mais o abandonei,para mim,transportar a Tabajara é até hoje uma glória.Agradeço a DEUS esta BENÇÂO.
    Luiz Machado

    ResponderExcluir