TEMÁTICA

Este espaço destacará o túmulo de personalidades famosas do meio artístico e histórico- cultural, sem qualquer conotação político-partidária ou religiosa doutrinária.


ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades famosas. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural brasileiro. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.

“MEMENTO, HOMO, QUÍA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó has de voltar.”

terça-feira, 5 de junho de 2012

WILZA CARLA - Arte Tumular - 169 - Cemitério S.Francisco Xavier (Caju), Rio de Janeiro


ARTE TUMULAR
Base tumular retangular em granito
Local: Cemitério do Caju, Rio de Janeiro
Foto: Bruno Gonzalez
Descrição: Helio Rubialeds

PERSONAGEM
Wilza Carla (Niterói, 29 de outubro de 1935 - São Paulo, 18 de junho de 2011) foi uma vedete, atriz e humorista brasileira.
Morreu aos 75 anos de idade.

SINOPSE ARTÍSTICA
Começou sua carreira artística como vedete no teatro de revista e como intérprete de papéis sensuais em filmes da era das chanchadas. Posteriormente, aproveitando o fato de que havia engordado bastante, celebrizou-se nos filmes do gênero "pornochanchada". O grande momento de Wilza na televisão foi interpretando a peSilvio Santos. Sérios problemas de saúde, agravados pela obesidade, afastaram-na da carreira artística a partir da década de 1990. No final de sua vida, Wilza sofria de diabetes e do Mal de Alzheimer. Wilza Carla morreu em São Paulo, cidade onde morou em seus últimos anos de vida, em decorrência dos males que sofria. Seu corpo foi trasladado para o Rio de Janeiro, onde foi sepultado no Cersonagem Dona Redonda, na novela "Saramandaia", exibida em 1976 pela Rede Globo. A última novela em que atuou foi "A História de Ana Raio e Zé Trovão", de 1990, produzida pela extinta Rede Manchete. Foi também jurada em programas de calouros, em especial o de mitério do Caju
Fonte:pt.wikipedia.org
Formatação:Helio Rubiales

Nenhum comentário:

Postar um comentário