TEMÁTICA

Este espaço destacará o túmulo de personalidades famosas do meio artístico e histórico- cultural, sem qualquer conotação político-partidária ou religiosa doutrinária.


ARTE TUMULAR

Existe um tipo de arte que poucas pessoas conhecem, a chamada arte tumular. Deixando-se de lado o preconceito e a superstição, encontraremos nos cemitérios, trabalhos esculpidos em granito, mármore e bronze de personalidades famosas. É um verdadeiro acervo escultórico e arquitetônico a céu aberto, guardando os restos mortais de muitas personalidades imortais de nossa história, onde a morte se torna um grande espetáculo da vida neste lugar de maravilhosas obras de arte e de grande valor histórico e cultural brasileiro. Através da representação, a simbologia de saudades, amor, tristeza, nobreza, respeito, inocência, sofrimento, dor, reflexão, arrependimento, dá sentido às vidas passadas. No cemitério, a arte tumular é uma forma de cultura preservada no silencio e que não deverá ser temida, mas sim contempladas.

“MEMENTO, HOMO, QUÍA PULVIS ES ET IN PULVEREM REVERTERIS.

“Lembra-te, ó homem, de que és pó e ao pó has de voltar.”

domingo, 3 de junho de 2012

NOITE ILUSTRADA - Arte Tumular - 191 - Cemitério Parque de Flores, Atibaia, São Paulo


ARTE TUMULAR
Placa de granito com uma placa de bronze com o seu nome e datas
Local: Cemitério Parque de Flores, Atibais, São Paulo
Foto: cemeteries-grave-yards.blogspot.com
Descrição:Helio Rubiales

 PERSONAGEM
Mário Sousa Marques Filho (Pirapetinga, 10 de abril de 1928 — Atibaia, 28 de julho de 2003), mais conhecido como Noite Ilustrada, foi um cantor, compositor e violonista brasileiro.
Morreu aos 75 anos de idade.
SINOPSE
O pseudônimo foi dado por Zé Trindade, que comandava a revista musical Noite Ilustrada em Além Paraíba (Minas Gerais), onde o jovem Mário começou a carreira de violonista. Nascido no interior de Minas, foi violonista da revista musical "Noite Ilustrada", que lhe rendeu o nome artístico. Mudou-se para o Rio de Janeiro, onde ingressou na escola de samba Portela, atuando com sambista da escola. Nos anos 50 radicou-se em São Paulo, onde trabalhou em casas noturnas. Seu primeiro sucesso foi o samba "Volta por Cima", de Paulo Vanzolini, gravado em 1963 no disco "Noite Ilustrada". Gravou grandes nomes do samba, como Cartola e Nelson Cavaquinho e, em mais de 40 anos de carreira, consagrou-se como um dos grandes cantores do ramo. Entre seus sucessos destacam-se "Cara de Boboca" (Jaime Silva/ Edmundo Andrade), "Barracão" (Luís Antônio/ Oldemar Magalhães) e "O Neguinho e a Senhorita" (Noel Rosa de Oliveira/ Abelardo Silva), "Toalha de Mesa" (Dora Lopes/ Carminha Mascarenhas/ Chumbo).
Fonte: pt.wikipedia.org -http://cliquemusic.uol.com.br
Formatação: Helio Rubiales
Desligue  a musica de fundo do blog para ouvir

Nenhum comentário:

Postar um comentário